primeira vez

Vídeo: Minha primeira vez, faculdade e o futuro

respondendo-perguntas-dos-leitores

A segunda parte do vídeo em que respondo as perguntas que vocês deixaram pra mim nas redes sociais já está disponível. Dessa vez falei um pouquinho sobre primeira vez, faculdade, futuro e muito mais. Adorei a variedade de temas e já tô pensando em gravar mais vídeos nesse estilo. Estamos quase chegando nos 500 mil inscritos e quero comemorar gravando o máximo possível antes da viagem. O que vocês querem assistir lá no canal? Deixem sugestões aqui nos comentários!

Quer acompanhar o VEDA em tempo real? Então inscreva-se no canal do blog. É grátis, você recebe notificações de novos posts e assiste o conteúdo antes de todo mundo.

8+ comentários

Minha primeira vez com Icekiss

icekiss

Fim do mistério! Os vídeos comigo e com o Felipe Neto cumprindo desafio Icekiss acabaram de ser divulgados! Já adivinhou o que é? Embarquei pra Bahía especialmente pra gravar o vídeo e ele foi para Belo Horizonte (uai!). Pra conferir minha aventura por completo, é só apertar o play. Pra quem ficou curioso, o vídeo do Felipe está disponível lá no site da Icekiss.

Amei a experiência! Especialmente porque envolveu viajar, conhecer um lugar novo e fazer algo que eu não imaginei que faria tão cedo. Às vezes a gente precisa viver coisas assim pra não esquecer como é sentir aquele friozinho na barriga causado, né? Amei. Valeu pelo convite, Icekiss.

27+ comentários

A primeira vez com Felipe Neto

icekiss-desafio-primeira-vez

Qual foi a última vez que você fez algo pela primeira vez? Sair da zona de conforto te faz viver experiências inesquecíveis e muda o jeito que você enxerga o mundo ao nosso redor. Não dá pra garantir que será perfeito e exatamente como imaginamos, mas pelo menos você terá riscado um item da listinha de coisas que sempre teve vontade de fazer e ainda terá boas histórias pra compartilhar. A Icekiss acredita tanto nessa ideia que me fez um convite especial: fui para o Rio de janeiro gravar com o Felipe Neto pela primeira vez e conversar sobre as coisas inusitadas que mudaram nossas vidas.

Deu pra entender como funciona a brincadeira? Vocês é que vão escolher o tipo de experiência que o Felipe vai viver. Pra deixar sua sugestão é só escrever aqui nos comentários do post ou nos comentários do video lá no YouTube. Depois as melhores ideias vão para votação no www.primeiravezetudo.com.br. Sejam boazinhas comigo, vai!

39+ comentários

Um texto sobre perder a virgindade

sexo-tabu

A gente sente o momento chegar quando os pais ou a escola começam a abordar alguns assuntos diferentes. Menstruação, puberdade, garotos, camisinhas… Se você tem algum namorado ou rolo, a pressão é maior ainda. Você sabe que em breve vai ter que encarar a grande pergunta: quando é o momento certo pra primeira vez? O papo a gente já conhece: tem que ser com alguém especial, tem que ser consensual, a gente tem que estar à vontade, tem que usar camisinha (SEMPRE!), tem que ter certeza, as coisas mudam depois… Mas o que a gente mais quer saber ninguém fala! Como é, afinal?

Já ouvi mulheres dizerem que a primeira vez delas não doeu em nada, mas como nunca podemos contar com a sorte,preveja que a sua vai doer. E muito. Assim como a minha.Eu descobri que tenho muita sensibilidade pra dor: pra fazer tatuagem, tomei analgésico e relaxante muscular (e fiquei meio dopada, mas ainda sentindo muita dor); pra extrair os sisos, o dentista me deu 4 vezes a anestesia que ele dava pros pacientes normalmente (e também saí dopada de lá). Quando meus amigos me cutucavam ou durante qualquer brincadeira dessas de abraçar, apertar as bochechas, eu sentia dor. E é claro que com sexo não foi diferente.

Todo adolescente sabe como namorar sem precisar transar mesmo. Afinal, com a restrição dos pais a gente tem que usar a imaginação. Mas vou falar aqui só do sexo ~de verdade~, porque é disso que a gente tem tanto medo antes da primeira vez. Eu “tentei” perder a virgindade quando tinha 18 anos, mas doeu tanto que desisti. Foi só alguns meses depois que eu consegui mesmo, com o meu namorado na época. E ele teve tanta paciência e tanto carinho que eu até me sentia mal de dizer que estava com dor. Mas eu tinha que dizer, ele mesmo não ia ficar feliz se soubesse que eu estava sofrendo quieta. Ele foi o cara que todas queremos pra nossa primeira vez: perguntou se eu tinha certeza, tomou todo o cuidado do mundo, fez tudo ficar mais leve, sem pressão. E nem perguntou se era pra botar camisinha! Pena que não são todos assim.

De qualquer forma, mesmo depois da primeira vez eu ainda sentia um pouco de dor. Quanto mais preliminares, menos dor. (Inclusive, fica a dica para homens e mulheres mundo afora!) Perguntei pra minha ginecologista se isso era normal e ela me deu um gel lubrificante e disse que era normal, que eu tinha que relaxar mais. Mas eu estava relaxada, ô dona! Foi então que me dei conta da minha hipersensibilidade. Não era tensão muscular, era uma dor “comum” (que poucas pessoas sentem, mas nada de anormal).

Enquanto eu estive com esse namorado, tudo era mais tranquilo, a gente sabia como fazer pra evitar o desconforto. Foi quando terminamos e eu fui ficar com outro cara que eu descobri o pesadelo que deve ser perder a virgindade com um babaca. Sim, eu estive com um autêntico babaca e não sei como pude aguentá-lo por mais de um dia. Ficamos poucas vezes, e transamos menos ainda. Na primeira vez foi ruim, doeu, mas deve ser só até acostumar, né? Na segunda foi ruim, doeu e ele não tava nem aí. Nem precisou da terceira, dei um pé na bunda antes de testar.

Essa é a diferença: o cara se importar com você. Pode até ser que ele te ame mesmo, mas ele cuida de você? É claro que vai doer e possivelmente vai doer outras vezes também. Masse ele não estiver nem aí pra sua dor, vai ser pior ainda. E você vai se sentir mal, porque afinal de contas, sexo deveria ser algo prazeroso! A gente pensa que se não conseguiu gostar, a culpa foi nossa.

Infelizmente, quando estamos apaixonadas não dá pra perceber direito quando o cara é legal ou quando ele só é legal porque quer sexo. A maioria das meninas aprende isso da pior maneira. Não me entenda mal, todas as besteiras que fazemos na vida tem um propósito: o aprendizado! Aquele babaca me fez ver como fui sortuda com o namorado que veio antes e mais sortuda ainda com o namorado incrível que tenho hoje. De qualquer forma, nunca faça algo por pressão dos amigos, família ou namorado.

Sexo é muito legal? Sim, claro. Entretanto, tem uma porcentagem muito grande de mulheres no mundo que não sabem nem o que é um orgasmo de verdade. Pior: tem mulheres que ficaram traumatizadas a vida toda por causa de uma experiência sexual negativa. Acho que o risco que a gente corre de ser “certinha demais” (como se isso fosse realmente um defeito) vale mais a pena do que sofrer por algo que deveria nos fazer feliz.

Tem gente que ainda acha que existe uma idade certa pra perder a virgindade. O que existe é o momento certo: estar com alguém que cuide de você, achar que está pronta pra isso (e pra o que houver, caso não seja tão legal), conhecer o próprio corpo. Em um dos vídeos Lully me Ajuda uma menina enviou mensagem dizendo que tinha 20 anos e ainda era virgem. A maioria dos comentários? Homens e mulheres dizendo que achavam normal ou que eles mesmos também perderam a virgindade tarde. Algumas pessoas inclusive apontaram que não é mérito algum uma menina perder a virgindade cedo, muito menos por causa de pressão.

A pressão voluntária ou involuntária das pessoas nunca ajudou ninguém a fazer algo direito, só atrapalha. Tem até aqueles “amigos” que botam pilha, sendo que a primeira vez deles mesmo foi uma droga: só querem te apressar pra eles não se darem mal sozinhos. Então quando a dúvida bater na sua cabeça, sobre se é o momento certo, leve tudo isso em consideração. A dúvida é normal, todo mundo passou por isso. Na minha opinião pessoal, se essa dúvida existe, é porque ainda não é a hora. Quando chegar, você vai saber.

129+ comentários