bruna vieira

Oi, estava com saudades de você

bruna-vieira-no-nordeste

Adoro viajar e graças aos lançamentos de cada um dos livros que publiquei pela Editora Gutenberg, tenho tido a oportunidade de conhecer um pouquinho mais das capitais do nosso país (em breve estarei em Belo Horizonte, Maceió e Porto Alegre). É muito corrido porque normalmente só fico um dia em cada lugar e a maior parte do tempo dentro da livraria autografando, mas a experiência de explorar o Brasil trabalhando me deixou com vontade de voltar com tempo pra passear. Acho que se eu pudesse fazer uma nova lista com 101 coisas que quero fazer nos próximos meses, um dos itens seria conhecer todos os estados do país.

Ainda tô desfazendo minha mala, mas sempre que penso em falar uma palavra com “ti” vem a lembrança do sotaque dos leitores nordestinos que me receberam tão bem. Gravei vlog pra compartilhar os melhores momentos e logo ele será publicado no canal do Youtube, mas enquanto não termino a edição resolvi fazer esse post pra agradecer mais uma vez o carinho de todo mundo. Principalmente aos leitores de Recife, Salvador, Aracaju e região.

Vou aproveitar o post pessoal pra dar uma boa notícia que alegrou meu final de semana: o Depois Dos Quinze entrou mais uma vez pra lista do signature9 que reúne os 99 blogs de moda mais influentes do mundo. Passamos da colocação #59 pra #51. É uma honra estar ao lado de tanta gente incrível que acompanho desde sempre. Também gostaria de parabenizar as colaboradoras Auana e Maria que escrevem sobre compras e estilo aqui no blog. A conquista também é de vocês!

Bom, acho por hora é isso. Tava com saudade de passar o dia na frente do computador atualizando o blog, respondendo e-mails e acompanhando os assuntos do momento nas redes sociais. Essa semana volto ao meu posto de blogueira, viu? Com novos vídeos, looks do dia e textos. Agora as coisas vão ficar ainda mais tranquilas porque meus pais estão morando perto e eu terei mais tempo pra trabalhar aqui. Ainda estamos ajeitando as coisas da mudança (como dá trabalho, né?), mas não falta muito. Prometo que assim que estiver tudo pronto mosto pra vocês. Por enquanto só temos caixas fora do lugar, móveis arranhados e nenhuma internet (obrigada, vizinho, por me emprestar a sua). Beijo na testa e bom restinho de domingo pra todo mundo!

46 comentários

Playlist: as mais tocadas desse mês

layla-fone-de-ouvido

A playlist dessa semana é uma seleção das músicas que eu mais ouvi durante esse mês. Dá pra dançar na frente do espelho, ouvir no trabalho ou no caminho até o colégio. Ah, e antes que vocês me perguntem, esse headphone lindo da foto é da marca Frends. Tô louca num desses!

Pra ouvir as outras playlists que eu criei é só acessar meu perfil lá no Rdio.

20 comentários

Vlog: Rotina de blogueira com Bruna Vieira

rotina-da-blogueira-bruna-vieira

Uma das coisas que eu mais gosto em trabalhar com blog é saber que não existe uma rotina definida. É óbvio que normalmente passo boa parte do tempo na frente do computador fazendo posts, mas vira e mexe rola algum evento, gravação ou viagem. Aproveitei que semana passada aconteceram várias coisas legais pra gravar um vídeo mostrando um pouquinho do meu dia. Ah, se você gostar desse tipo de vlog mais pessoal, conta pra mim nos comentários e dê like lá no youtube porque se o resultado for legal, posso gravar toda semana. Espero que gostem e se divirtam!

Para assistir mais vídeos como esse é só se inscrever no canal do blog.

36 comentários

A mudança das coisas que nunca mudam

99

Quando alguma coisa importante está prestes a acontecer meu sono vira fumaça. O problema é que essa ansiedade vem sempre acompanhada com pensamentos inconvenientes. É como seu meu subconsciente me punisse por não conseguir dormir e descansar o quanto eu realmente deveria. Vai ficar acordada, querida? Então tome essa meia dúzia de lembranças e questionamentos. Use o silêncio raro da cidade grande pra decifrá-los.

Minha cabeça dói de um jeito que só dormir resolve, mas já que eu não consigo, mesmo virando pra lá e pra cá na cama que divido diariamente com a bagunça, resolvi escrever. Como nos velhos tempos. Falar sobre mim, pra mim e pra um monte de gente que eu não conheço. Mergulhar por dentro sabendo que vai espirrar lá fora. Coisa que eu nem sei mais como fazer. Será que nós deixamos de nos conhecer com o passar dos dias? Por falta de tempo será que esquecemos de nos lembrar quem somos e o que queremos? Acho que não. Espero que não.

Antes de tudo, quero explicar o sumiço.

Não entendo nada de astrologia e as famosas previsões da Susan Miller que todas as minhas amigas comentam no começo do mês, mas eu diria que 2014 tem sido o ano oficial do trabalho e das boas oportunidades. Talvez eu devesse ter prestado mais atenção naquelas páginas da revista que falam sobre isso, né? Já era. Tenho feito o possível pra conseguir superar as expectativas das pessoas que amo. É difícil porque às vezes tenho a sensação de que eu não vou dar conta, que o mundo vai cair na minha cabeça a qualquer momento e eu tô sozinha, mas no dia seguinte as coisas parecem menos complicadas. Antes mesmo do café da manhã surge outro desafio e o meu estômago vira do avesso mais uma vez.

Qual é a melhor tradução pra overthinking?

Num episódio de Gossip Girl que assisti outro dia o personagem Chuck Bass ensinou que às vezes tudo que precisamos é parar de adiar e simplesmente dizer “sim”. Aproveitar as oportunidades e lidar com as consequências, não como se elas fossem um problema, mas sim um prêmio por termos saído da zona de conforto. A consequência da realização dos meus sonhos é ter os meus pais perto de mim.

Misturar os dois mundos.

Tô tão animada com a mudança. Tão ansiosa. Sempre que imagino meus dias com eles por perto sinto um frio na barriga. É quase como quando tenho uma viagem marcada pra algum lugar novo e tô no táxi indo pro aeroporto. Acho que é quase a mesma coisa, né? Um lugar novo. Um novo começo pra todo mundo. Um pouquinho de paz pro meu pai que sempre foi tão estressado no serviço. Pra minha mãe que além de lidar com ele tinha que organizar a papelada toda. Pra Zooey que terá um quintal enorme, um irmãozinho e a mãe 24 horas por dia e 7 dias por semana.

Dá medo porque nós nunca moramos em outro lugar juntos. Dá medo porque eu não quero ser a culpada por bagunçar a família se não der certo. Dá medo porque, mais que nunca, tudo vai depender de mim. Dá medo porque mudar é assim, deixar coisas pra lá. Não sei se queria deixar minha casa antiga pra lá e o meu refúgio que é passar alguns dias longe de tudo. Bem, mas olhando pelo lado bom, pelo menos dessa vez, com a mudança e a coisa nova pra enfrentar, eu não tô sozinha.

Se a minha vida fosse uma série, caros leitores, eu diria que a terceira temporada está prestes a começar. Desejem-me sorte!

45 comentários