você está lendo O dia em que fui pedida em casamento

bruna-vieira-pedro

A gente cresce acreditando que histórias de amor acontecem de um jeito mágico, como nos contos de fadas. Uma hora tudo conspira a favor dos apaixonados e os dois ficam juntos e felizes pra sempre. Simples assim. Como se o amor fosse a certeza de que todo o resto vai funcionar. Bom, por experiência própria, nem sempre no mundo real as coisas acontecem desse jeito. Amor nenhum sobrevive sozinho. É preciso cuidado, carinho e, acima de tudo, respeito. Respeito pela história do outro. Respeito pelo sonho do outro. O que vem primeiro? O amor ou todas as outras coisas? Cheguei à conclusão que esse tal equilíbrio é tão difícil de se encontrar que a maioria das pessoas nem chega a tentar. Desistem no primeiro ou segundo contratempo. Por que não? Hoje em dia é tão fácil achar alguém (mais) compatível.

Bom, eu e Pedro seguimos tentando.

Em todas as fases do nosso relacionamento, fomos totalmente honestos um com o outro em relação a tudo. Sabe aqueles joguinhos normais nas primeiras semanas? Nunca aconteceu com a gente. Desde o primeiro dia, ao lado do Pedro, eu me senti pronta para ser eu – da pior e melhor forma possível. Isso foi completamente novo e transformador pra mim. Eu não tive medo de deixar ele me enxergar, porque desde o começo ele me conheceu de verdade.

O tempo passou e tudo só ficou mais intenso. Cada viagem, cada risada, cada piada interna que qualquer outra pessoa do mundo acharia idiota. O dia era sempre melhor quando estávamos juntos. No Ipiranga, no Itaim, em Botafogo ou na Califórnia.

Sim, embarquei nos sonhos dele, assim como desde o começo ele sempre apoiou e se orgulhou dos meus. Estar tão longe de casa não foi fácil. Não foi simples. Quase todas as minhas certezas viraram incertezas de uma hora para outra, menos uma. No fundo, eu sabia que eu e ele encontraríamos um jeito de fazer isso dar certo, afinal de contas, a parte mais difícil nós já havíamos conseguido: encontrar um ao outro.

Hoje eu acredito quando dizem que você deve se casar com o seu melhor amigo. Essa amizade, que anda de mãos dadas com o amor, é um abraço quentinho nos dias em que tudo parece estar desmoronando na sua cabeça. É difícil fingir ser alguém e ao mesmo tempo ser realmente feliz, né?! Quando quem você ama conhece a sua melhor e pior versão, tudo fica um pouco mais leve. Acho que essa é, por fim, minha maior lição de amor.

Obrigada por me ajudar a entender isso, noivo. <3

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-12

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-106

bruna-vieira-pedro-2

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-199

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-184

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-158

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-149 (1)

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-146

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-141

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-130

Bruna Vieira e Pedro Franceschi

Bruna Vieira e Pedro Franceschi

Bruna Vieira e Pedro Franceschi

Bruna Vieira e Pedro Franceschi

Bruna Vieira e Pedro Franceschi

Bruna Vieira e Pedro Franceschi

Bruna Vieira e Pedro Franceschi

Bruna Vieira e Pedro Franceschi

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-67

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-54

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-37

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-34

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-25

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-9

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-20

20180326pedidosurpresaBruna&Pedro-45 (1)

Fotos: Amanda Nunes