Namoro à distância!

distancia-namoro

O ano passou rápido demais. Estou prestes a terminar o ensino médio e virar minha vida do avesso: Cidade nova, dividir apartamento e entrar em uma faculdade sem conhecer ninguém. Como se já não fosse mudança o suficiente pra me preocupar e adaptar, terei que decidir o destino do meu namoro de quase dois anos: Continuar o relacionamento a quilômetros de distância, ou terminar e preservar a amizade?

Quando converso com minhas amigas, elas dizem pra eu seguir meu coração, mas a questão é: Como fazer isso se ele também está perdido?

Sei que fundo, no fundo, a vida é mesmo assim. Cheia de encontros, desencontros e despedidas. Se a gente for pensar bem, qualquer relacionamento é um risco e não vem com garantia e prazo de validade. Nós não temos o dom de controlar nosso destino, muito menos o de quem a gente ama. Penso que talvez essa seja a maior graça, e ao mesmo tempo, o pior castigo. Principalmente nessa nossa fase “camaleoa”, onde tudo é muito intenso: O amor, o ciúme, a saudade…

Acho que viver um namoro à distância é uma experiência que devemos viver pelo menos uma vez na vida. Pra crescer por dentro. Aprender – mesmo que da maneira mais difícil – como lidar com a saudade, com o ciúme e principalmente com a autoconfiança. De qualquer forma, estou tentando não escolher ou pensar tanto nisso agora, sabe?! Deixar o acaso agir nos próximos meses e mostrar o caminho certo que dá para o final feliz. Meu, e dele. Torço claro, para que seja o mesmo!

Alguém aí já passou por uma situação parecida e quer compartilhar a história? Seria muito legal e importante pra mim, conversar com vocês sobre o assunto.  Foi justamente por isso que escrevi esse texto para a página da Always essa semana. Quem estiver afim e tiver alguma coisa pra contar, pode passar por lá, curtir e deixar um comentário ou pergunta. Estarei o dia todo responndo e interagindo com vocês na aba “ENTRE AMIGAS” (que fica na lateral da página).

178 comentários